segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Vocação salvista

Fraternidade Jesus Salvador: Vocação salvista

            Abaixo colocamos como nosso Pai-Fundador, Pe Gilberto Maria Defina, sjs, pensava sobre vocação.

Objetivo da Obra – “Seu objetivo principal primário é o Louvor de Deus, sob todas as suas formas, a litúrgica, em primeiro lugar; e secundário, - como consequência desse louvor -, a santificação pessoal e comunitária, através da consagração ao Espírito Santo, Deus-Amor”.[1]

“- A Vocação é chamado e convite de Deus. E a vocação aos diversos ministério da Igreja, aos ordenados e aos demais outros, é chamado e convite pessoal, para poucas pessoas da terá; é individual: Ele nos chama pelo nome e sobrenome de cada um de nós; para servir pessoalmente a Ele, o Senhor e à sua Igreja; ao mesmo tempo, Ele espera, por este chamado e convite, uma resposta pessoal, individual. Entretanto, se é verdade que a vocação parte sempre, por primeiro, da iniciativa de Deus, contudo o Senhor a entrega e delega aos cuidados de sua Igreja, costumeiramente, o Seu vocacionado, a Sua vocacionada. É grave, muito grave, esta obrigação da Igreja, de acompanhar, passo a apasso, o crescimento e amadurecimento de tais vocações para o seu serviço, em vista de lhes dar autenticidade, como futuros ministros, diante da comunidade cristã católica. Esta vocações são, para cada um, um selo de Deus, que precisa ser rubricado pela autoridade hierárquica de Sal Igreja neste mundo, e a esta rubrica nada mais pode aposto.

- a resposta do (a) postulante a esses encargos sagrados deve ser tal que, para ser verdadeira e autêntica, deverá se apresentar totalmente despojada de quaisquer desejos de interesses de bens pessoais, por mais nobres que sejam, de quaisquer dignidades, a não ser a dignidade de servir a Cristo Jesus e ao Povo de Deus. Deverá ser motivado apenas pelo único desejo de dar continuidade à obra salvífica do próprio Cristo, que veio para servir e não ser servido, a fim de ‘tudo restaurar em cristo’, ‘omnia instaurari in Christo’, e tudo recapitular no Cristo. Aquele que é sempre o mesmo, ‘ontem, hoje, e por toda eternidade’ (Hb 13, 8)”.[2]





[1] Pe. Gilberto Maria DEFINA. Ordem da Fraternidade Senhor Javé Salvador: Constituições, Regras de Vida e Ordenações de Estudos. São Paulo, 1995, p. 3.
[2] Idem, p. 99-100.

Nenhum comentário:

Postar um comentário