segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Fraternidade Jesus Salvador: O Seminário

Fraternidade Jesus Salvador: O Seminário

            Abaixo colocamos como nosso Pai-Fundador, Pe Gilberto Maria Defina, sjs, sonhava o Seminário Nossa Senhora de Pentecostes da Fraternidade Jesus Salvador.

             

Objetivo da Obra – “Seu objetivo principal primário é o Louvor de Deus, sob todas as suas formas, a litúrgica, em primeiro lugar; e secundário, - como consequência desse louvor -, a santificação pessoal e comunitária, através da consagração ao Espírito Santo, Deus-Amor”.[1]

“1 – Finalidade do Seminário (...)

- ter um Seminário apropriado para a específica formação espiritual e cultural dos princípios preconizados pela Renovação Carismática Católica, em geral;

- ser, propriamente, um Seminário Renovado, com fisionomia delineada e moldada pelo Sopro do Espírito Santo;

- preparar sacerdotes e leigos (as) aptos a se tornarem missionários (as) e testemunhas do Senhor Jesus;[2]  

- ensinar só o que ensina a Revelação e a Tradição, através dos Santos Padres e do Magistério da Igreja, mesmo na expressão normal e comum de cada dia, das palavras e orientações do Santo Padre, o Papa;

- guardar e defender, por todos os meios e ações e ações, de forma íntegra, o Depóstio da Fé=”Depositum Fidei”;

- obedecer com fé esclarecida e sem contestações, as ordens e orientações das Autoridades constituídas na Santa Igreja, através das Congregações da Santa Sé, da Hierarquia, e principalmente, do Bispo diocesano do lugar e dos sacerdotes como pastores do Povo de Deus.

- formar sacerdotes segundo o Coração de Deus, ungidos pelo seu Espírito, revestidos dos sentimentos de nosso Senhor Jesus Cristo, para pastorear seu povo em meio a um mundo descristianizado e de uma sociedade dessacralizada em extremo;

- formar leigos e leigas igualmente ungidos pelo Espírito Santo, ornados de ministérios que lhes são apropriados e lhes são confiados pela Igreja, para se tornarem o bom odor do Cristo e serem o puro fermento da verdade cristã católica; para implantá-la em seus locais de trabalho; semeando a boa semente do Reino de Deus; palmilhando todos os caminhos da terra, como evangelizadores e missionários e apóstolos do Senhor.

2. Objetivos do Seminário

- Estudar, investigar e transmitir, mais com a Sabedoria de Deus, como diz o Apóstolo, do que a sabedoria do mundo e dos homens, a Teologia e a Filosofia da Igreja Católica, em conexão com as demais ciências sagradas e profanas, visando harmonioso desenvolvimento;

- Refletir filosoficamente sobre a realidade do cristianismo da Igreja universal, e da realidade brasileira, dentro do contexto da Igreja latino-americana.

- Contribuir em favor do Povo de Deus e, em especial, em ajuda à Hierarquia Eclesiástica, no progresso da intelecção da fé e da moral, na promoção das diversas formas de Pastoral, dando-se ênfase especial à pastoral da Renovação Carismática Católica, no enriquecimento e esplendor da Liturgia Sagrada, no ensino particular do Canto Gregoriano, quer em Latim, quer em Vernáculo; no estudo do Grego e de línguas semíticas; na formação humanística de futuros mestre e mestras das ciências sagradas e profana.

I - O Seminário

- O Seminário, meio mais excelente de que a Santa Igreja dispõe para a sementeira, florescimento e amadurecimento das suas vocações, quer sacerdotais, quer religiosas, tem por missão especial por em contato com as energias vivificantes e perenes do Evangelho, jovens e adultos de hoje, que se destinam para os seus ministérios específicos.
            Este povo de Deus ou esta sua Igreja encontra-se no ‘Hoje’ destes nossos dias em uma nova fase de sua histórica trajetória, na qual, mudanças profundas, rápidas, e às vezes, radicais, se estendem por todos os setores da Igreja e do mundo.

-  Nesta perspectiva, o Seminário, como comunidade de formação, conservando necessária e obrigatoriamente seus valores perenes, deve compô-los de modo adequado com as recentes descobertas de vivência em comunidade; ao mesmo tempo, solidificar com firmeza os valores tradicionais provados pela experiência válida de séculos, e introduzir, com discernimento espiritual e humano, os novos elementos que provaram ser autênticos, sempre à luz do Evangelho e da sábia e santa direção do magistério da Igreja. A História da Salvação assim o exige, e o Seminário jamais poderá ser um campo exploratório de certas experiências inócuas e falsas.

- Depois do Concílio de Trento, tratou-se de se fundar uma instituição nova na Igreja para a formação de sacerdotes. E surgiram os Seminários com feição bastante rígida. Na década de sessenta deste século, e principalmente no pós-Vaticano II, muito se mudou e se inovou, parte para o bem, parte para o menos bom e menos digno da formação sacerdotal. Hoje, - e na Fraternidade Jesus Salvador é o que se quer -, trata-se de renovar conceitos e de se olhar o tipo de formação tridentina, e adaptá-los às exigências de uma formação espiritual e pastoral eficazes e próprias neste mundo em transmutação profunda, distanciando-se voluntária e violentamente do centro da história cristã, do próprio  Cristo e de sua Igreja.

- A Fraternidade quer realizar esta proposta de Seminário, em três níveis distintos: Seminário Maior filosófico-teológico; Seminário Propedêutico; Seminário menor. (...)

- Com exceção dos Seminários Menor e Propedêutico, o Seminário Maior admite em suas salas de aula, tanto homens como mulheres, casados e solteiros, porquanto as matérias de estudo com suas disciplinas nos cursos filosóficos e teológicos, serão idênticos para todos. Isto no prédio respectivo deste Seminário Maior.

- Serão, porém, distintos os prédios das moradias:

a) dos sacerdotes, professores, e dos alunos seminaristas que se formam para o sacerdócio ordenado;

b) das religiosas, professoras, e das alunas que se dirigem para a vida consagrada;

c) dos homens, casados e solteiros, que se orientam para o diaconato permanente e os ministérios leigos, a eles apropriados;

d) das mulheres, casadas e solteiras, que se orientam para os ministérios leigos, a elas apropriadas.

- Todos os atos, contudo, serão comunitários, reunindo-se todos nos devidos lugares: capela, auditório, refeitório, etc.

- Os estudos serão de tempo integral, e especificamente, aos que se dirigem para o ministério ordenado”.[3]




[1] Pe. Gilberto Maria DEFINA. Ordem da Fraternidade Senhor Javé Salvador: Constituições, Regras de Vida e Ordenações de Estudos. São Paulo, 1995, p. 3.
[2] Adaptação do nome conforme instrução da Santa Sé.
[3] Pe. Gilberto Maria DEFINA. Ordem da Fraternidade Senhor Javé Salvador: Constituições, Regras de Vida e Ordenações de Estudos. São Paulo, 1995, p. 94-98.

Nenhum comentário:

Postar um comentário